Recursos de
Acessibilidade:  
Tecle Alt+1 : ir ao conteúdo Tecle Alt+2 : ir ao mapa do site Texto menor Texto maior Contraste                 
 
 
Vereadores
Eugênio Serpeloni - PSD
18ª LEGISLATURA

Presidente Atual
Eugênio Serpeloni
Alex Santana - PSDAndré Francisco Mariano Cardozo - PSCEdileine Antonia Vanzan Griggio - PSCIrineu Moreno de Paula - PSDB
João Manoel Ardigo - PSB
João Salvador dos Santos - PSCMaria do Carmo Ferro Campiolo - PSDBReginaldo Aparecido da Silva - SDD
Rodrigo da Costa Teodoro - SDD
Webmail
HISTÓRIA DO MUNICÍPIO

Webline Sistemas

O povoamento de Rolândia teve início em 1932 com a chegada dos primeiros colonos alemães que haviam comprado terras na Gleba Roland, assim denominada em homenagem ao lendário guerreiro medieval Roland - um dos doze pares da França, sobrinho de Carlos Magno. A fundação da cidade aconteceu em 29 de junho de 1934, com o início da primeira construção urbana - o Hotel Rolândia. A partir daí, várias construções se sucederam, dando origem a uma próspera vila, no meio da mata.

 

http://www.net10.com.br/home/clientes/camararolandia/imagens/Historia%20da%20Camara/rolandia-antiga%C2%B4P.jpgA fundação da cidade de Rolândia fez parte de uma grande campanha para a colonização do Norte do Paraná, iniciada em 18 de fevereiro de 1926, com a Portaria nº 65, do Governo do Paraná, determinando a demarcação das áreas adquiridas pela Companhia de Terras Norte do Paraná, subsidiária da Paraná Plantation Ltda, cujos donos eram ingleses. A venda dos terrenos começou em abril de 1929, no governo de Afonso Alves de Camargo. A Cia. de Terras Norte do Paraná,  em parceria com a Paraná Plantation e Cia. Ferroviária São Paulo-Paraná, planejou e executou audacioso plano de colonização da região, nos moldes de outro projeto, desenvolvido na região de Araçatuba (São Paulo), a partir de 1911. Áreas que mais tarde seriam patrimônios ou cidades foram reservadas, com distâncias médias entre 10 e 15 quilômetros, entre elas, justificando hoje a proximidade entre cidades de uma mesma região. Numa segunda etapa, as glebas foram divididas em pequenas propriedades e vendidas,  principalmente aos imigrantes.

 

http://www.net10.com.br/home/clientes/camararolandia/imagens/Historia%20da%20Camara/igreja-luteranaP.jpgOS ALEMÃES - Corria o ano de 1932 e, na Alemanha, o Ministro Erich Koch- Weser, conhecendo o plano de colonização da Cia. de Terras Norte do Paraná, estudava a possibilidade de fundar uma colônia alemã  nesta região do Brasil,  dando oportunidade aos cidadãos que não encontravam meios de trabalhar em seu país. Vale lembrar, todavia,  que a primeira colonização alemã introduzida no Paraná remonta ao ano de 1829, com a chegada de 300 colonos à região onde hoje estão as cidades de Rio Negro e Mafra.

 

 

http://www.net10.com.br/home/clientes/camararolandia/imagens/Historia%20da%20Camara/imigrantesP.jpgA COLONIZAÇÃO - Convidado pelo Ministro Koch-Weser, o engenheiro agrícola Oswald Nixdorf assumiu a incumbência de fundar essa colônia que garantiria o futuro do imigrante alemão. Nixdorf chegou ao Norte do Paraná (Londrina) em abril de 1932, com a esposa Hilde e a filha Gizela. Depois de escolher a gleba e demarcar os lotes, Nixdorf e sua família mudaram-se para a Gleba Roland, por ocasião do Natal daquele ano. O próprio Ministro Koch-Weser, por razões políticas, imigrou para o Brasil, vindo, com a família, pouco mais tarde, integrar o grupo de colonizadores de nossa cidade. A fama da fertilidade da "terra roxa" se espalhava pelo mundo e o Norte do Paraná ficou conhecido como a Canaã Brasileira. Em pouco tempo, mineiros, paulistas, nordestinos e filhos de imigrantes alemães, radicados em Santa Catarina e Rio Grande do Sul chegaram a Rolândia. Outros imigrantes estrangeiros vieram somar-se aos primeiros moradores e muito contribuiram para o seu desenvolvimento: japoneses, italianos, suíços, espanhóis, sírio-libaneses, húngaros, poloneses, tchecos e austríacos, entre outros.

 

EMANCIPAÇÃO - Ex-distrito de Londrina, Rolândia obteve sua emancipação em 1943 e a instalação do novo município aconteceu no dia 1º de janeiro de 1944. Nessa época, a exemplo de outros municípios brasileiros que mudaram seus nomes, de origem germânica, devido à Segunda Guerra Mundial, a cidade era chamada de Caviúna (numa referência à madeira nobre encontrada na região). A denominação definitiva do município - Rolândia - só foi oficializada em 1948.

 

http://www.net10.com.br/home/clientes/camararolandia/imagens/Historia%20da%20Camara/estatua-roland-II-P.jpgESTÁTUA ROLAND - Figura lendária, integrante das hostes do Imperador Carlos Magno, Roland foi um dos guerreiros da resistência germânica contra as tropas invasoras.  Destacou-se por sua tenacidade e coragem nas batalhas pela defesa de territórios. Passou para a história germânica como símbolo das aspirações populares por liberdade e justiça. Estes ideais sempre estiveram presentes na lembrança dos colonizadores do município que, juntamente com a direção da Companhia de Terras, em homenagem ao lendário herói medieval,  deram ao nascente município o nome Rolândia como a significar, na busca por liberdade, o lugar onde poderiam reconstruir suas vidas, longe de perseguições políticas, religiosas e raciais. Mais tarde, já na década de 50, Rolândia teve na cafeicultura sua principal fonte de riquezas.  Ficou mundialmente conhecida como a "Rainha do Café". Nessa época, alguns comerciantes da cidade de Bremen (Alemanha), visitaram a região para conhecer de perto a exuberância dos cafezais, cujo produto era, naquele país, comercializado por eles. Voltaram impressionados com a fertilidade da terra, a abundância da lavoura, a hospitalidade do povo e o progresso da cidade.  Depois, com a ajuda de políticos de Bremen, o grupo decidiu presentear a população rolandense com uma réplica da Estátua de Roland, com isso estreitando os laços existentes entre as duas cidades. A estátua chegou a Rolândia em novembro de 1957.

 

1) Da colonização alemã, presença marcante na história do município, Destacam -se:
A Estátua do Guerreiro Roland, doada pela cidade de Bremen (Alemanha);
A arquitetura utilizada pelos imigrantes principalmente nas fazendas de café e que, hoje, direcionam suas atividades para a exploração do turismo rural, incluindo o museu da imigração alemã;
A Oktoberfest, conhecida nacionalmente e que, todos os anos, atrai milhares de turistas ao município.

2) Como marcos significativos da colonização japonesa, além do Museu existente na cidade,  o município registra dois importantes acontecimentos:
Em 1978, durante as comemorações dos 70 anos da Imigração Japonesa no Brasil, Rolândia recebeu figuras ilustres: o Presidente da República, General Ernesto Geisel e o então príncipe Akihito.
E, em 1998, durante as comemorações do IMIN 90, Rolândia recebeu, entre outras personalidades ilustres da política nacional, o então  Presidente, Fernando Henrique Cardoso. Na oportunidade, mais de 30 mil pessoas acompanharam as festividades realizadas em Rolândia.

3) A maior colônia em número de habitantes é a italiana, compondo 60% da população. Como os alemães e japoneses, os italianos cultivam suas tradições e oferecem à região três grandes festas anuais:

La Noche Del Vino e Della Polenta (junho);
La Festa Della Porchetta (agosto);
La Noche Del Macherone (novembro).

 





melhor utilizado Firefox - Chrome - Ie9 ou superior
















Próxima Sessão

27 ª SESSÃO ORDINÁRIA

25/09/2017 (SEGUNDA-FEIRA)

18:00 horas

Consulta de Leis
Contas Públicas
da Câmara
transmissão ao vivo
DIÁRIO OFICIAL
Galeria de Fotos

Galerias
2017 © Todos os direitos reservados